[Resenha] Minha Vida (Não Tão) Perfeita - Sophie Kinsella

Título: Minha Vida (Não Tão) Perfeita
Autor(a): Sophie Kinsella 
Editora: Record
Páginas: 406
Ano de Publicação: 2017

Dramas, confusões e uma boa dose de amor são os ingredientes do novo romance de Sophie Kinsella. Uma divertida crítica aos julgamentos errados que uma boa foto no Instagram pode gerar. Cat Brenner tem uma vida perfeita mora num flat em Londres, tem um emprego glamoroso e um perfil supercool no Instagram. Ah, ok... Não é bem assim... Seu flat tem um quarto minúsculo sem espaço nem para guarda-roupa , seu trabalho numa agência de publicidade é burocrático e chato, e a vida que compartilha no Instagram não reflete exatamente a realidade. E seu nome verdadeiro nem é Cat, é Katie. Mas um dia seus sonhos se tornarão realidade. Bom, é nisso que ela acredita até que, de repente, sua vida não tão perfeita desmorona. Demeter, sua chefe bem-sucedida, a demite. Tudo o que Katie sempre sonhou vai por água abaixo, e ela resolve dar um tempo na casa da família, em Somerset. Em sua cidadezinha natal, ela decide ajudar o pai e a madrasta com a nova empreitada do casal: os dois planejam transformar a fazenda da família em um glamping, uma espécie de camping de luxo e estão muito empolgados com o novo negócio, mas não sabem muito bem por onde começar. E não é justamente lá que o destino coloca Katie e sua ex-chefe cara a cara de novo? Demeter e a família vão passar as férias no glamping, e Katie tem a chance de, enfim, colocar aquela megera no seu devido lugar. Mas será que ela deve mesmo se vingar da pessoa que arruinou sua vida? Ou apenas tentar recuperar seu emprego? Demeter - a executiva que tem tudo a seus pés - possui mesmo uma vida tão perfeita, ou quem sabe, as duas têm mais em comum do que imaginam? Por que, pensando bem, o que há de errado em não ter uma vida (não tão) perfeita assim?

♥♥♥

Olá galerinha que ama ler assim como a minha pessoa!!! Mais uma vez, encontro-me aqui para falar de uma leitura maravilhosa, muito divertida, muito significativa e bastante cativante que é Minha Vida (Não tão) Perfeita, da minha rainha do chick-lit Sophie Kinsella. 

A única coisa que lamento é não ter lido esse livro em um momento mais tranquilo da minha vida, em um período em que a correria do meu trabalho e problemas familiares me ocupassem tanto a ponto de não aproveitar a leitura por completo. Mesmo assim, nesses momentos conturbados, o livro foi uma excelente companhia e o fato dele ser divertido, leve... acabou sendo um grande suporte e indico com todo coração para quem é fã de chick-lit como a pessoa que vos fala. Mas agora vamos entender melhor sobre o que se trata essa história.

Nossa personagem principal é Katie, uma garota do interior que desde sempre desejou intensamente morar em Londres e seguir a profissão de Designer. Mas chegando lá, ela percebe que a vida não seria mil maravilhas, mesmo estando em Londres e trabalhando em uma empresa bastante conceituada. Ela não estava exercendo a função que gostaria, com isso e por outros motivos, sentiu a necessidade de mudar seu sotaque e até o nome de Katie para Cat, adotando assim uma postura e personalidade diferente para chegar onde queria. Para o pai e pessoas próximas, ela fazia questão de camuflar sua realidade com postagens belíssimas no Instagram, ao passo que, discretamente idolatrava a vida perfeita de sua chefe, o estilo de vida que sempre almejou ter. 


Mas essa chefe era o terror da empresa, ninguém gostava dela e muitas vezes seu jeito de tratar as pessoas era revoltante. No entanto, Katie/Cat consegue uma forma de se aproximar da Chefe e com isso surge a esperança de que suas ideias possam ser ouvidas e ela venha a se destacar na empresa. Até o dia em que é demitida e todos os seus sonhos vão por água a baixo, mesmo a possibilidade de um amor que estava surgindo entre ela e Alex, um dos chefes da empresa, acaba não dando certo e sem rumo ela volta ao interior para ajudar seu pai e a madrasta em um projeto para criar um Gramping em suas terras. Mesmo mentindo para a família sobre seu emprego, a mocinha se vê satisfeita com o crescimento do negócio da família. Mas em um belo dia, ela percebe que uma das hospedes é nada mais, nada menos que a ex-chefe e sua família perfeita. E aí? O que vai acontecer? Eu garanto que vocês vão se surpreender com as loucuras que a nossa atrapalhada e simpática heroína será capaz de fazer, sem falar nas revelações que me deixaram de queixo caído. AMEI de verdade verdadeira Kkkk.

Como eu mencionei anteriormente em outras resenhas, adoro livros que nos fazem refletir e nos transmitem ensinamentos. E essa obra foi um prato cheio, muitas situações corriqueiras ali na vida de Katie se encaixam perfeitamente a nossa rotina. A vida não é perfeita, nunca vai ser, sempre vão existir dias melhores e piores. Como lidamos com isso é que faz a diferença. 

Outro ponto abordado no livro é o “viver de aparências”, a necessidade que muitas, inúmeras pessoas têm de postar ou transmitir o melhor de suas vidas simplesmente para mostrar o que tem, que sua vida é melhor do que qualquer um e esquecer de coisas mais importantes que a aparência. Claro, todo mundo tem o direito de postar o que quiser e principalmente aquilo que mais lhe agrada, lhe faz bem. Mas, quando isso se torna uma necessidade e você esquece de todo o resto, com certeza a tendência é um crescente vazio e tristeza para sua vida. 

Acredito que pela forma que estou relatando o livro, muitos devem estar pensando que deve ser um daqueles de auto-ajuda kkkkk, não é. Ele tem uma história muito bacana, tudo dentro de um universo “sessão da tarde” e um romance muito fofo. Adorei, amei e apesar de não ter sido o melhor momento em que li, devido aos diversos problemas externos e pessoais, ainda assim valeu muuuuuito a pena. Gostei demais e super, ultra, mega indico.

2 comentários

  1. Olá Ana,
    Adorei a resenha. Tive as mesmas opiniões que você sobre o livro. Amei demais essa leitura, me diverti com Cat/Katie, sem mencionar que me identifiquei muito com ela, principalmente com aspectos referentes a trabalho. Adorei a mensagem do livro e o clima sessão da tarde que ele tem. O livro tem 406 páginas, mas a leitura flui tão bem que parece que tem 100. Foi meu primeiro contato com a autora e fiquei com gostinho de quero mais, quero com certeza ler outros livros dela.

    Bjokas! Elo!
    http://cronicasdeeloise.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eloise, que bom que você gostou da resenha, fico muito feliz. Essa autora é incrível mesmo. Me tornei fã dela quando li Fiquei com o seu número, não consegui largar o livro um só momento do meu dia. Espero muito ver sua opinião dos outros livros dela. Bjos minha flor!!!

      Excluir